Variação de preços nos postos exige pesquisa do consumidor

Variação de preços nos postos exige pesquisa do consumidor

O Procon não identificou irregularidades no aumento dos preços dos combustíveis a partir desta segunda-feira (7), quando a maioria dos postos de Goiânia reajustou os valores nas bombas. O órgão constatou, por meio de pesquisa realizada em 104 estabelecimentos e divulgada nesta sexta-feira, variação entre 20% e 26%.

O preço da gasolina variou de 20,42% (menor preço a R$ 3,57 e o maior a R$ 4,299); o do etanol, de 26,59% (entre R$ 2,369 a R$ 2,999); e do diesel  comum, de 24,41% (entre R$ 2,99 e R$ 3,72).

Segundo sua assessoria de informação, o Procon notificou as distribuidoras a prestarem informações dos preços médios de venda, principalmente em relação à gasolina comum e ao etanol hidratado, vendidos em três diferentes períodos, antes e após a elevação dos impostos (PIS e Cofins), em 21 de julho. O objetivo é identificar indícios de abusos de preços.

Na noite desta segunda-feira o GasBuster (aplicativo que monitora o preço dos combustíveis em tempo real na Grande Goiânia e exibe os mais baratos nas proximidades do consumidor), identificou uma alta em cadeia na grande maioria dos postos, pegando de surpresa os consumidores na terça-feira pela manhã. Houve muitas reclamações e o Procon anunciou a realização da pesquisa de preços, divulgada nesta sexta-feira.